segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008


Eu vejo amor nas pessoas. Melhor. Eu via amor nas pesoas, amores assim, tão delicados, plagiando eu o dueto Vinícius/Jobim..nesse espaço de (des)abafos e (des)afetos tenho eu muitos rascunhos, sabe? Coisas não ditas, coisas interminadas, vai ver me preocupo muito com o Sr. Na Frente da Tela, ou vai ver com a Srª Que me Lê...muitas coisas "impublicadas", outras "impublicávies", fazer o que? O pudor é meu defeito e salvação. Antíteses. Sou um pouco ser-antagonicamente-sufocante....ora sufoco os outros...ora, sou eu a que necessita oxigênio em longas e contínuas doses. Mas, indo ao início, falava do amor: eu via amor em algumas pessoas, eu queria o amor de algumas pessoas, amor que causa inveja,sabe? "Nem todo bem,faz bem", como eu disse num outro texto...mas a visão embaçada que eu tinha se foi...e não há pessimismo nisso de usar o verbo "ver" no passado...creiam! Cheguei a um estágio interessante da minha existência (wow!!), o de não me prender a conceitos pré-formados de sentimentos; assim, temos essa definição de amor no Wikpédia (sua enciclopédia livre,rs): "A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, miseridódia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. " Só que o amor não é isso. O amor não é um sentimento puro, ele é uma mescla de sentimentos, é um vírus complexo, por isso a "cura" é tão difícil. " O amor? Um vírus?" Sim, quem nunca sofreu de amor? Como sofre-se de tísica, por exemplo(credo,rs)?Um vírus complexo, uma doença crônica...mas quem não quer se contagiar?E quem nunca desejou antídotos?

12 comentários:

Reverendo FerAuZ disse...

Quem dera o amor fosse um virus, assim teriamos certeza q todos nossos amores seriam correspondidos. Seria so infectar a pessoa amada e seriamos felizes para sempre.
O amor esta mais para uma disfunção hormonal(sim, quase uma volta a adolescencia), a pessoa cheia de amor se sentira hora no topo do mundo, hora no fundo do poço e ainda vai cometer muitos atos tolos e infantis (coisas que com o retorno da razão podem pesar sobre as costas).
Mas ker saber a verdade, adoro ser um eterno adolescente.
gwahahahaahhaha

Bjuz pra vc e parabens pela sua obra.
http://paginasdacampininha.blogspot.com/

The Ice Girl. disse...

Lindo lindinha, rs...
Parabéns...

Diego Rodrigo disse...

acho que o carinha daí de cima falou tudo!

"Quem dera o amor fosse um virus, assim teriamos certeza q todos nossos amores seriam correspondidos. Seria so infectar a pessoa amada e seriamos felizes para sempre."

tem mais algo a se falar??

acho que não!

Diego Rodrigo

Lica disse...

A o amor , é uma obsessão do ser humando em nunca viver só , existem algum que nascem sem essa obsessão que deve se alojar em uma gene bastante expressivo , não acha , ou no cortex cerebral , rs
Eu sou daquelas que não vive sem , e gosta de saofrer com amor , e não sem,
e vc?

bjokas

Ferzinha disse...

Tb já sofri de amor e pra mim o antídoto foi encontrar, como dizem, a tampa da minha panela...agora estou feliz e curada!
Visite meu blog tb...
Bjaum
Fernanda
http://cotidianoativobyfer.blogspost.com/

Yeda disse...

Realmente o amor é um vírus mais ele mesmo é o antídoto
O amor é um sentimento antagônico e aqueles que possuem esse sentimento e não são correspondidos são seres contraditórios.( por que não sabem se esquecem ou se esperam aquele que lhe faz sofrer)


Paraéns pelo seu blog.

Dê uma passadinha no meu http://recantodeyeda.blogspot.com/

cláudia disse...

Vixi, eu bem que tô querendo ser infectada por esse vírus aí...rs

Gostei do que a outra menina aí disse:"o amor é um vírus mas ele mesmo é o antídoto" E não é?

=)

Salvador Lucas­ disse...

O amor pode ser considerado um vírus, eu já sofri de amor =]

All3X disse...

A forma leve que você encaminha o texto é incrível. Diz tudo de forma segura e tão prazerosa a leitura.
Gostei mesmo. Mas não considero o amor um vírus, como algo que deteriora e consome tudo. Pelo contrário, ele é o que dá força e rejuvenesce.
Valeu,
All3X

Zúnica disse...

As vezes a delícia do amr está no sofrer, no amor não correspondido, em se sabera frágil vítima.

As vezes a delícia do amor está em rejeitar, em se fazer de difícil, sentir que é amado e pode continuar só.

As vezes a graça do amor é ficar juntinho, abraçado embaixo do edredon, falando fofo e comendo sorvete direto do pote.

Os gregos acreditavam que a mente e a alma da pessoa se encontravam no mesmo lugar, no coração, o Core. Dai que vêm "decorar" - guardar no coração. Deve ser por isso que o lado racional da gente nunca combina com o amor. Eles de espremem num cantinho apertado demais pra funcionar juntos.

luiz scalercio disse...

quem achar o amor e muito feliz ta

Anônimo disse...

necessario verificar:)